Publicado em Deixe um comentário

O que nos ensina a física quântica?

Física quântica.

Mesmo tendo surgido a mais de um século com Max Planck, a física quântica ainda não é majoritariamente aceita, pois é diametralmente oposta ao paradigma dominante. “Embora uma nova disciplina científica denominada física quântica tenha substituído formalmente a física clássica neste século, a velha filosofia da física clássica — a do realismo materialista — continua a ser amplamente aceita.” (Amit Goswami)

O que precisa ser entendido e sentido são as implicações desses experimentos da física quântica em nossa vida e as consequências de não mudarmos nossa maneira de ver a realidade. Já que a ciência está aqui para ajudar o homem em todos os sentidos – desde nosso bem-estar físico até a expansão da consciência.

Vamos, então, às 10 implicações que física quântica pode ter em nossa vida, a partir das quais poderemos mudar nossa percepção sobre a existência e entender o porquê de nossas experiências.

1. Entendemos que tudo no universo é informação e energia.

Ao descobrirmos que o núcleo do átomo é energia condensada e que, portanto, energia = matéria, passamos a entender que esse plano da realidade e todos os demais são apenas energia vibrando em diferentes frequências. Tudo no universo é energia vibrando em frequência específica e que contém uma informação.

A “in-formação” é o que dá forma à energia e esta manifestará de acordo.

A informação – intenção ou propósito – da Consciência Original é o que mantém tudo no universo sincronizado de forma coerente, íntegra e unificada.
A energia transforma a informação/intenção em manifestação.

A existência é, portanto:

informação (propósito) + energia (existência) = manifestação

Esta equação se manifesta como o universo e todos os seus planos e seres.

2.Entendemos como a energia se manifesta como “matéria”.

Matéria como a classificamos e experienciamos no dia-a-dia é constituída de energia informada vibrando em certa frequência.

A física quântica traz de volta o papel da consciência do observador na criação da realidade, deixado de lado pela física newtoniana. A partir da intenção do observador, a energia se manifestará de uma ou outra maneira.

A intenção consciente do observador ao conduzir um experimento científico, por exemplo, provoca alterações no mesmo e induz a um certo resultado.

A matéria é apenas uma convenção mental, um modo de ver a energia nesse estado condensado.

3.Resgatamos nosso poder pessoal (ou o poder da Fonte em nós)

Pensamentos e sentimentos, ou seja, nossa intenção (que é uma informação), põem em movimento uma energia que, por sua vez, manifesta a experiência correspondente. Nossos pensamentos e sentimentos, portanto, emanam uma onda eletromagnética que magnetiza tudo em nossa realidade.

Colapsamos a função de onda por meio de nossas escolhas o tempo todo. A onda de infinitas possibilidades é e permeia tudo. Toda vez que expressamos um desejo, emanamos uma onda que interfere com a onda de infinitas possibilidades que se transforma em uma onda de probabilidade.

O que precisamos fazer é mudar o ponto de referência ao fazer essa escolha.

Se escolhemos a partir do passado (memórias, crenças, julgamentos, etc) estamos apenas repetindo sempre as mesmas experiências. Andamos em círculos. Mas, se escolhemos a partir da intuição (centrados no momento presente), poderemos manifestar a melhor realidade possível para nós.

Toda escolha, independente do ponto de referência, tem consequências e somos responsáveis por elas. Quando colocamos o foco em algo, nossa consciência se desloca para essa realidade e isso começa a se manifestar em nossa vida. Quanto mais foco maior a probabilidade de ocorrência.

Mas se damos atenção com ansiedade e preocupação, provocamos o efeito Zenão quântico impedimos que a onda de probabilidade de torne matéria – “congelamos” essa onda e a probabilidade de que o evento ocorra diminui ou se dissipa completamente.

O sentimento de ansiedade e preocupação poderá manifestar justamente o que se teme e não o que se realmente quer. Crenças, atitudes, sentimentos discordantes podem anular a probabilidade de manifestação daquilo que queremos que ocorra.

4.Modificamos nosso paradigma mental.

A física quântica nos proporciona uma visão completamente diferente e uma ruptura do paradigma mental anterior, mas que ainda prevalece hoje. Antes da física quântica, acreditava-se, por exemplo, que causa e o efeito deveriam ser observáveis no mesmo local.

Mas, quando entendemos e aceitamos que tudo é energia se manifestando de diferentes formas, os conceitos de emaranhamento quântico e da não-localidade (atuação instantânea e à distância) não parecem misteriosos. São simplesmente fenômenos que decorrem do funcionamento natural do universo.

Passamos a entender que existem forças e energias – de outras dimensões – que nos afetam o tempo todo provenientes do Campo. Outro conceito revolucionário que passamos a entender com a física quântica é que o passado, o presente e o futuro existem simultaneamente (lei do desdobramento do tempo), pois sabemos que o elétron se encontra em superposição de estados quânticos até que seja observado.

Aceitamos que nossa visão linear do tempo não é a mais adequada para descrever como realmente funciona a existência. O tempo é único, onde passado, o presente e o futuro coexistem ao mesmo tempo em superposição. Ou seja, todas as perguntas e todas as respostas de que necessitamos para viver a melhor realidade possível estão disponíveis para nós.

Toda informação do universo está disponível, mas, é preciso que mudemos radicalmente nossa visão de mundo para podermos acessá-las.

5. Entendemos que não somos o corpo, mas consciência que habita o corpo.

Não somos o corpo, nem a mente. Somos a própria consciência original se desdobrando e se expressando através dos infinitos seres na existência e através da própria existência. Nossa consciência determina qual a informação (intenção) irá moldar a energia que se manifestará no plano físico.

A causa de todo sofrimento é, portanto, buscar fora o que já somos dentro. Somos a Essência Original – que já contém todas as perguntas e respostas – tendo essa experiência individualizada. Isto não significa que não podemos ter bens materiais, mas compreender que eles não são a causa de nossa felicidade ou satisfação pessoal.

Ainda nos comparamos com os outros tendo como referência o que está fora. Mas se entendemos que todos temos a mesma essência expressando-se de diferentes maneiras, não perderíamos mais tempo em qualquer tipo de comparação. Agir a partir do divino presente em cada um de nós, é agir sem a necessidade aprovação dos outros, confiantes e agradecidos a esse poder superior nos levar sempre ao melhor caminho.

6. Percebemos nossa conexão permanente com a Consciência Primordial ou Observador Inicial.

A intenção ou propósito do Observador Inicial é a força que mantém tudo unido em um todo coerente, no que se chama Paradigma Original. É a sua intenção consciente que sustenta a criação o tempo todo, senão tudo se desintegraria em mera potencialidade.

Somos, portanto, uma emanação da Consciência Original e estamos em contato direto com a Fonte o tempo todo. Tudo está dentro desta única Consciência, mas em diferentes níveis de organização, em diferentes frequências.

E como parte do Todo, temos a mesma capacidade do Todo. É que nos mostra os estudos sobre holografia, qualquer parte de uma estrutura, contém todas as informações sobre a estrutura em sua totalidade. Toda a informação do universo inteiro está presente na mais minúscula partícula existente.

Temos a mesma capacidade de criação do Todo. Mas, para manifestar essa capacidade, é preciso que entremos em fase, em sintonia com o fluxo com dessa Consciência Primordial, com a força que mantém tudo unido – que chamados de Amor.

7. Entendemos nossas relações com os demais.

Tudo e todas as pessoas estão entrelaçadas no nível inicial. Tudo provém da Consciência Original. Uma única Onda se desdobra em infinitas possibilidades para viver infinitas experiências e agregar cada vez mais informação – propósito.

Tudo que pensamos, sentimos e desejamos em relações aos outros nunca sai de nós, do nosso campo eletromagnético. Vai e volta. Fica vibrando em nosso campo e criando nossa realidade o tempo todo. Pensamentos e sentimentos, baseados em nossas crenças (apenas escolhas passadas ou programas implantados em nossa educação) e nossas percepções, geram ondas eletromagnéticas que atraem pessoas e situações em igual frequência.

8. Entendemos porque ela é a base de praticamente toda a tecnologia que usamos hoje.

Alguns exemplos:

– Magnetoencefalograma: medição dos campos magnéticos associados à atividade eléctrica cerebral.

– Celular,

– Rádio,

– Televisão,

– Internet sem fio (wi-fi),

– GPS

– Ressonância paramagnética eletrônica: técnica por meio da qual a radiação, na forma de micro-ondas, é absorvida pelas moléculas, íons ou átomos com elétrons em movimento desequilibrado, como os radicais livres)

Em 2009, por exemplo, foi realizado o primeiro teletransporte de informações entre átomos separados em compartimentos não conectados a um metro de distância, sem necessidade de um meio físico.

“O teletransporte funciona devido a um notável fenômeno quântico chamado entrelaçamento, que ocorre apenas na escala atômica e subatômica. Uma vez que dois objetos são colocados em um estado emaranhado, suas propriedades estão inextricavelmente entrelaçadas. Embora essas propriedades sejam inerentemente incognoscíveis até que uma medição seja feita, a medição de um dos objetos determina instantaneamente as características do outro, independentemente de quão distantes estejam ….Bits eletrônicos convencionais (abreviação de dígitos binários), como os de um computador pessoal, estão sempre em um dos dois estados: desligado ou ligado, 0 ou 1, alta ou baixa tensão, etc. Bits quânticos, como sempre, podem ser em alguma combinação, chamada de “superposição”, de ambos os estados ao mesmo tempo, como uma moeda que é simultaneamente cara e coroa – até que uma medição seja feita. É esse fenômeno que dá à computação quântica seu extraordinário poder.” (Joint Quantum Institute)

A realidade é, portanto, uma superposição de infinitas possibilidades até que o observador, nós, faz uma escolha e criamos uma probabilidade de que essa escolha se manifeste.

9. Compreendemos a sabedoria de antigos ensinamentos:

Importância da gratidão, da alegria, do amor. São informações que vibram em frequências especificas e que são parte da própria essência da Fonte;

Importância do soltar; de ‘fluir no fluxo’ do universo, onde tudo vem no momento certo. Não significa deixar de fazer, mas fazer sem expectativas, esperanças, apego quanto aos resultados ou medo do fracasso, com um sentimento interno de confiança e certeza de que sua parte está sendo feita e o restante cabe unicamente ao universo.

Importância de renunciar às nossas ilusões sobre o mundo se quisermos nos reconectar com a Consciência Original.

Importância de ouvir intuição. Ou seja, de captar a informação diretamente da Fonte, sem ser distorcida pelas crenças, emoções, sentimentos ou opiniões.

Importância de estar no presente. Mudar nosso ponto de referenciado passado/memórias (crenças) para o agora (onde está nosso ponto de encontro com nossa consciência superior e onde temos poder de escolha).

10. Por fim, a física quântica nos faz entender que o único jeito de ter um impacto positivo no planeta é SER positivo.

Só assim poderemos magnetizar uma realidade em ressonância com a própria essência da Fonte que é amor, felicidade, abundância. Não mais reagiremos às situações, mas iremos observá-las de um ponto de vista neutro e sereno, entendendo porque as coisas são como são. É ‘estar no mundo, mas não ser do mundo’.

Para isso, precisamos conscientemente escolher uma visão de mundo que nos leve de volta à nossa Essência Original se quisermos nos sentir completos novamente.

Referências

Fonte: Do quântico ao cósmico – https://doquanticoaocosmico.com/2018/10/21/estudar-fisica-quantica/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *