Publicado em 2 comentários

Conheça os quatro compromissos toltecas para viver bem.

“A felicidade é uma escolha, assim como o sofrimento”.

Há um milênio existiu na América Central pré-colombiana a cultura tolteca, parte dos povos nahuas. Em seu idioma, tolteca significa “mestres construtores” ou “artesãos”, já que deixaram como legado construções e monumentos primorosos. Seus sucessores, os Astecas, os consideram os inventores de todas as civilizações, da medicina e do início da habilidade de contar os anos. Mas sobretudo, o maior presente transmitido pelos toltecas é sua filosofia, reverenciada e estudada até hoje.
Mesmo sendo um povo complexo, de uma inteligência ímpar, sua filosofia consiste em princípios simples, porém elementares, e que visam a verdadeira felicidade humana. A começar, os toltecas falam que a realidade, assim como a conhecemos, nada mais é do que um sonho coletivo, o sonho do planeta. Ou seja, desde que nascemos interpretamos a realidade por meio de acordos, seja desde o que são os objetos, até a própria noção de certo e errado, ou quem somos e qual nosso papel no mundo. O filósofo mexicano de origem tolteca, Miguel Ruiz, chama essa condição humana de domesticação.

Seríamos todos domesticados por nós mesmos?

Segundo ele, esse termo se justifica pois depois de um tempo ouvindo preceitos e valores em nossa educação, não precisamos mais que ninguém nos domine já que nos tornamos nossos próprios domadores. Ou seja, somos nós mesmos que nos colocamos os limites, as verdades, as demandas, mesmo que elas existam apenas por fazer parte de um sistema. Nesse sentido, a domesticação gera o juiz e a vitima em nós mesmos: somos quem pune e também quem é punido. Quer um exemplo pra entender melhor?
Lembra daquele momento em que você fez algo e em seguida desaprova dentro de você? Quem desaprova é o personagem do Juiz, com base no livro de regras que aprendeu durante a vida. Ele diz dentro de você que aquela atitude é errada e que você merece ser punido. Logo também se manifesta a Vítima, que sofre as exigências de seu próprio Juiz interior. E a partir dessa lógica, o medo passa a ser estabelecido em nossas vidas.
No pensamento tolteca, o medo e auto-exigência são os piores inimigos da vida. Isso é causado pela tal domesticação, que nos faz formar uma imagem de perfeição que, quando não é correspondida (já que não somos perfeitos), faz com que tenhamos rejeição por nós mesmos.

Se nossas exigências não nos fazem felizes, o que faz afinal?

Já que os códigos de valores adquiridos durante a vida não nos trouxeram uma vida feliz e harmônica, a filosofia tolteca propõe quatro acordos básicos pelos quais podemos encontrar nossa própria verdade. Mesmo sendo simples, esses quatro acordos, se honrados, tornam a vida fluída e harmônica, pois contém neles a chave para o bem viver. São eles:

1. Seja impecável com sua palavra

A palavra tem força e poder. Ela é criadora e manifestadora da nossa realidade, e pode criar tanto coisas boas quanto ruins. Portanto a consciência daquilo que sai da nossa boca é fundamental para criarmos uma realidade próspera. Com a palavra podemos elogiar, elevar, construir, mas também criticar, ofender, e insultar. Conosco funciona da mesma forma, afinal, o que estamos dizendo pra nós mesmos? Reafirmando o papel de vítima através da reclamação, ou criticando nossas ações no papel de juiz? Assim, Miguel Ruiz orienta sobre o primeiro acordo: “Use as palavras apropriadamente. Use-as para compartilhar amor. Use magia branca começando por você. Seja impecável com a palavra”.

2. Não leve nada no pessoal

Você já parou pra pensar sobre o quanto dependemos da opinião dos outros para estar bem? Se estamos confiantes no nosso trabalho, basta alguém fazer uma crítica pra nos desestimular. Uma palavra hostil já nos coloca de mau-humor, e acabamos não pensando que muitas vezes a pessoa só está projetando em nós seus próprios problemas e inseguranças. Por isso, o segundo acordo tolteca nos orienta a não levar nada no pessoal. Assim percebemos que quando não permitimos, o outro não pode nos afetar. É possível então trilhar um caminho de paz e harmonia apenas aceitando o outro como ele é, mesmo com suas projeções sobre nós, e assim também cultivar a auto-aceitação de nós mesmos.

3. “Não faça suposições”

Você sabia que o ser humano tem um mecanismo de defesa que tende a dar mais importância às más notícias? Isso explica por que tantas vezes fantasiamos coisas que os outros acham ou pensam sobre nós. Por isso o terceiro acordo tolteca nos diz: “não faça suposições”! Tudo que sai do concreto, do prático, e acontece apenas na nossa imaginação é projeção. Temos o costume de sofrer muito na mente, pelas suposições que fazemos a respeito das pessoas, das coisas e até de nós mesmos. Portanto, quando existe qualquer suposição em nossa mente, antes de darmos estímulos a ela, devemos esclarecer e sanar nossa dúvida, pois só assim ela pode sair do âmbito da imaginação para o concreto. E quando criar esse hábito, se surpreenda com a quantidade de caraminhola que geramos na nossa mente e que não têm nenhuma raiz na realidade.

4. “Sempre dê o seu melhor”

O quarto princípio tolteca parece simples, mas possui uma profundidade imensa. Em suma, quando damos nosso melhor, o máximo esforço da melhor forma possível, consequentemente aceitamos melhor as consequências das nossas ações. É importante encontrar o equilíbrio desse princípio, já que o nosso melhor está de acordo com nossos limites, e não tem nada a ver com mais do que podemos dar. Contudo, quando começamos a aplicar esse princípio a todas as nossas ações, percebemos que nosso melhor é sempre mais do que imaginamos, pois cultivamos aquela atividade com presença e zelo. E “dar o melhor” se aplica a todas as ações, não apenas às nossas preferidas. Ou seja, devemos dar nosso melhor até quando for lavar a louça ou até mesmo tirar um tempo de ócio. Mesmo que esses preceitos venham de um povo tão antigo, também são bem atuais se adaptados a nossa vida contemporânea. Faça o teste e descubra você essa transformação, que segundo os Toltecas, é o princípio do bem viver.

2 comentários sobre “Conheça os quatro compromissos toltecas para viver bem.

  1. E praticando esses preceitos teremos um universo interior e exterior muito melhor!

    1. Simmm!
      E comentários como estes, nos fazem ver que a vida esta ascendendo sim, para confirmar isso só faltava a gente se conectar.
      Gratidão querida!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *