Publicado em Deixe um comentário

Conheça os elementais

Você acredita em fadas? 

Cada esfera de evolução têm seus habitantes. Muitos são os reinos e, em cada um deles, consciências vivem e complementam a criação. Os elementais são também conhecidos como espíritos da natureza. Já sabe quem são eles? Gnomos, duendes, fadas, salamandras, silfos, ondinas e sereias. Cada um cuidando do seu elemento. A crendice popular fez com que a crença neles fosse ridicularizada, mas, quem procura um pouco mais de informação sobre o mundo espiritual, certamente vai se deparar com esses seres e as inúmeras menções a eles em diversas religiões e escolas esotéricas. Eles são mais reais do que você pode imaginar!


São guardiões do mundo natural e preservam o equilíbrio entre os planos dévico e humano, evitando que nenhum elemento se sobressaia ao outro causando destruição ou escassez; são vigias das fronteiras entre esses dois universos e fazem com que a dinâmica do mundo aconteça de forma equilibrada. São, ainda, responsáveis pela recepção dos nossos desejos e pedidos e podem trazer boas energias para nós.

Quem são os elementais da natureza?

São os seres que surgiram dos quatro elementos: terra, ar, fogo e água. Cada um dos elementos básicos têm seus próprios guardiões, que agem em conjunto para proteger toda a natureza, como o crescimento das plantas, desenvolvimento do fogo, circulação do ar e movimento das águas. Justamente por serem os espíritos guardiões dos elementos, são chamados de elementais. São como anjos, alguns vivem aproximadamente 300 mil anos e podem assumir a forma que quiserem, mas geralmente se apresentam para os humanos com a forma que são mais conhecidos, para facilitar o sucesso da interação.


Os elementais não possuem consciência de si mesmos? São apenas energia? Não. Eles têm consciência, instinto e propósito. Seguem sua própria agenda evolutiva e hierarquia de luz, maneira como se agrupam e organizam. Quanto ao livre arbítrio, há controvérsias: alguns acreditam que eles têm livre arbítrio e por isso, alguns deles se submetem aos desejos humanos como os gnomos, mas muitos dizem que não. Diferente de nós, o livre arbítrio só é dado para seres menos evoluído e ainda em desenvolvimento, para que possam aprender e se responsabilizar por suas escolhas. Como a Lei do Amor é a força que governa esses espíritos, eles seriam livres de carma portanto, o livre arbítrio não faria sentido.

Elementais do fogo

Os guardiões do fogo são as salamandras, que governam este elemento e se associam ao poder de domínio das emoções e do calor dos nossos atos.
Impulsos e transformação são os aspectos associados ao humano deste elemental, além da capacidade de ativar desenvolver pensamentos e emoções no homem. Esses espíritos podem ser vistos sempre que observamos as chamas dançantes das labaredas, as silhuetas que se formam nas chamas das fogueiras, velas e de qualquer outra manifestação deste elemento.


Sempre que acendemos uma vela, por exemplo, as salamandras estão ali presentes. Sem elas, o fogo material não pode existir e tem relação direta com atuação junto às Hierarquias de Luz; são as grandes alquimistas do fogo, usadas nas práticas místicas para transformarem em ether nossas intenções mentais, nos ajudando a elevar nossos desejos ao cosmo.

Elementais da água

A água é o elemento mais abundante no planeta e em nós mesmos. Em termos espirituais, ela simboliza nossas emoções e catalisa os sentimentos humanos ligados ao amor, paixão, afetos, enfim, a maioria das sensações humanas.
Como guardiãs da água, temos as ondinas e sereias, elementais associadas ao elemento água. Ondinas são muito parecidas com as sereias, podendo habitar águas salgadas e doces, profundas ou rasas, quentes ou frias, desde que sejam águas limpas.
Já as sereias, muito conhecidas por seus traços humanos e cauda de peixe, são responsáveis pela proteção e harmonia dos oceanos.

Elementais do ar

São os elementais que cuidam dos ventos, da chuva, e fenômenos climáticos em geral, ou seja, controlam os poderes do ar. São os mais etéreos por isso, os mais difíceis de serem vistos. Conhecidos como fadas e silfos, são também muito famosos e muito procurados, envoltos e misticismo e lendas há milênios. As fadas associadas às histórias infantis em nada tem a ver com esse elemental. Os silfos são os mais elevados, porque seu elemento nativo é o que possui a mais elevada frequência de vibração. Vivem até mil anos e jamais desenvolvem sinais de velhice.
Em termos místicos, estes seres alados são tão rápidos quanto o pensamento e trazem mensagem dos Deuses para os homens.

Elementais da terra

Os tão conhecidos gnomos e duendes são os espíritos elementais da terra. São responsáveis pela solidificação dos corpos de animais e objetos. Tudo que é sólido possui uma correspondência energética com os elementais da terra e, pesar das plantas possuírem ligação com todos os elementais, elas estão diretamente ligadas ao elemento terra e, portanto, os gnomos e duendes. Eles agem nos terremotos e vulcões, para equilibrar os poderes da terra. Em nosso corpo, são responsáveis pelos ossos e sais minerais e possuem ligação também com as cartilagens, músculos e pele, sendo que essa ligação ocorre em conjunto com os elementais da água.
Por viverem nas florestas e serem muito conhecidos, são os elementais que possuem mais relatos de avistamento. Essa energia pode ser atraída para sua casa e trará sorte, abundância e prosperidade. Se eles gostam ou não de maçãs não é uma certeza, mas, querendo interagir com eles, não custa tentar!

Os elementais na história

Os espíritos da natureza estão muito presentes na história das religiões, o que justifica a aura lendária e a quantidade de histórias e misticismo envolvendo estes seres. Mais do que lendas, eles estão presentes em religiões, mitologia e escolas esotéricas muito antigas.


A mitologia da Grécia antiga é recheada de histórias sobre os elementais. Essa gênese era, na época, a forma de explicação da dinâmica do mundo e origem de tudo, sendo levada muito a sério. Surgiu antes das religiões e antes mesmo da filosofia, que, quando aparece, é em decorrência dos questionamentos que a mitologia não dava mais conta de responder.


Como seres reais, eram responsabilizados pelas mudanças climáticas e correntes marítimas, pela precipitação da chuva ou pelo fato de haver fogo, entre muitos outros fenômenos da natureza. Apesar de ser uma explicação mitológica, própria da maneira pela qual se estruturava o conhecimento na época, eles não estavam enganados.


No hinduísmo, é chamado de reino dévico a dimensão onde atuam os espíritos da natureza. Segundo essa religião, os elementais pertencem a uma evolução diferente da que rege a humanidade, uma evolução na qual podem ser vistos como um reino logo acima da humanidade. Os devas estão, quase sempre, dispostos a expor e a exemplificar assuntos para qualquer ser humano suficientemente desenvolvido para apreciá-los. A maioria dos recrutas do reino deva teriam vindo de outros projetos do sistema solar, superiores à nossa existência humana.


A wicca e o xamanismo também trabalham com a canalização e evolução através dos elementais, muito comuns em invocações e rituais mágicos. Especialmente a Wicca que trabalha muito com as energias da natureza e os 4 elementos, vemos os elementais muitos presentes nos ensinamentos da doutrina.
Na literatura e cultura Celta, especialmente as fadas têm muito destaque, sendo os responsáveis pela difusão da imagem da fada que conhecemos pelas produções de cinema e literárias. Eles diziam que as fadas podiam mudar de aparência e se tornar visíveis ou invisíveis para os humanos, conforme sua vontade. Elas podiam também levar humanos e animais para o Outro Mundo, às vezes para sempre, trazendo uma aura de muito mistério e lendas em torno desses seres.


Muito mais do que folclore, os elementais são uma construção religiosa e mística da humanidade. Hoje, quem se refere a eles pode parecer louco e muito se deve às produções literárias, que os colocaram no reino mágico da imaginação e fantasia infantil. Mas nem sempre foi assim. Se pensarmos neles como espíritos da natureza, a coisa toma outra proporção.


Cada árvore, cada flor, cada fenômeno natural dos reinos vegetal e mineral são densamente povoados por consciências, que fazem parte da riqueza espiritual da natureza. Aliás, médiuns clarividentes ostensivos, ou seja, aqueles que conseguem enxergar com os olhos abertos as dimensões espirituais, conseguem enxergar essa diversidade de vida dos seres que habitam a natureza.

Deve ser lindo! Imagina olhar para uma floresta, para um belo jardim e, além da beleza natural física ali presente, ser capaz de perceber esses espíritos em ação? Ver a vida que existe além do que os olhos podem enxergar? É fantástico!

Referências

Fonte: https://www.wemystic.com.br/artigos/elementais-natureza-gnomos-e-fadas/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *